Visions du Réel – Portugueses sem prémios

Depois de Visions du RéelRed Africa Via Norte viram-se para o IndieLisboa, de 28 de Abril a 8 de Maio.

Apesar da diversidade das propostas apresentadas pelas várias produções (e co-produções) nacionais, os filmes portugueses saíram de Nyon sem qualquer distinção. Uma pena, pois o naipe de filmes revela bastante fulgor cinematográfico. Desde logo, a visão muito particular de Red Africa, recriada pelo russo Alexander Markov, numa co-produção com a RTP e a produtora Kintop, de Susana Sousa Dias, sobre a influência da propaganda russa em diversos países africanos entre os anos 60 e 90, ou seja, entre o período de descolonização e a queda da URSS. Além das valiosas imagens de arquivo, destaca-se a intenção conferida à dimensão sonora que nos permite observar as imagens isentas da manipulação sonora original. Seguramente, um filme muito revelador que adquire dos dias de hoje uma pertinência inesperada e suplementar.

Red Africa, de Alexander Markov ©Visions du Réel

Igualmente ignorado foi Via Norte (ou Périphérique Nord) de Paulo Carneiro, dois anos depois da investigação familiar, em Bostofrio, adapta agora o mesmo registo de observação integrada sobre o valor e a extensão que um automóvel pode ter na vida social. Em particular, na comunidade emigrante na Suíça que retrata as suas paixões pelos carros modificados. 

Break Your Dick, de Pedro Rei ©Visions du Réel

Se estes dois são talvez os filmes mais marcantes, em breve em exibição no IndieLisboa, merece ainda atenção Break Your Dick, de Pedro Rei, produzida pelo KinoDoc, a acompanhar o caminho tortuoso da transsexual Aurora para mudança de sexo, exibido no mercado. Do Bairro, de Diogo Varela Silva, reflecte a visão peculiar de alguns bairros históricos de Lisboa, como a Mouraria e Alfama, e o efeito da pandemia que os tornou em verdadeiros bairros fantasmas. Já a dupla Pedro Neto e Ricardo Falcão, reflecte em Yoon a viagem de um senegalês, desde Portugal até à sua terra, reflectindo sobre as pessoas que deixou para trás e as que irá encontrar em Dakar.

Referência ainda às produções minoritárias: as curtas Boy from the Dreams, do butanês Suraj Bhattarai, apresentado em estreia mundial e os oito minutos da animação Ribs, da bósnia Farah Hasanbegovic, dois projectos oriundos do Doc Nomads. 

[Foto em destaque: Via Norte (ou Périphérique Nord) de Paulo Carneiro ©Visions du Réel]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.